Sem comentários

Investimento Chinês de 300 Milhões vai Construir Casas em Monsanto

A antiga Pedreira do Alvito, junto ao parque florestal de Monsanto, vai tornar-se num dos maiores projetos imobiliários de Lisboa, pela mão do Grupo chinês EMGI. Trata-se de um investimento de 300 milhões de Euros nos terrenos, que pertenceram ao BCP.

A Encosta da Tapada, junto ao estádio do Atlético Clube de Portugal, é a principal área de intervenção do Plano de Pormenor da Pedreira do Alvito, aprovado pela Assembleia Municipal de Lisboa em dezembro de 2015, cobrindo 21 hectares na freguesia de Alcântara. Desde o seu encerramento no século XX, os terrenos da Pedreira do Alvito têm sido ocupados ilegalmente, encontrando-se neste momento degradados.

O projeto imobiliário em questão prevê uma área total de construção de 120.000 m2, bem como a construção de cerca de 550 apartamentos, escritórios e ainda espaços comerciais. Do conjunto de apartamentos, 25% destinam-se ao Programa de Renda Acessível, enquanto que os restantes serão colocados no mercado de venda livre, visando sobretudo compradores Portugueses.

Trata-se de um importante projeto que irá contribuir para a revitalização do Vale de Alcântara, além de ter forte potencial para trazer mais de 1.000 novos residentes para a zona ocidental de Lisboa. Em termos concretos, o empreendimento para além de abranger 87.000 m2 de habitação, 22.000 m2 de escritórios e 11.000 m2 de retalho, contempla ainda 900 lugares de estacionamento, espaços verdes, uma escola, um lar de terceira idade e novos acessos ao Bairro de Alcântara.

Por conseguinte, o investimento do Grupo imobiliário chinês EMGI engloba o valor da compra do terreno, infraestruturas, projetos de arquitetura, obras de construção, bem como todos os outros custos associados ao processo de promoção. Assim, o Grupo tem apostado sobretudo em projetos de reabilitação residencial na capital, já com seis projetos em carteira: o condomínio de luxo República 55, o República 37, Palmela 21, Square 53 e Rodrigo da Fonseca 40.

Top