Sem comentários

Preços das Casas em Zona Periférica de Lisboa têm o maior aumento do país

Os mercados periféricos de capital são os que mais estão a valorizar em Portugal, ao concentrar no 3º trimestre de 2019, 15 dos 21 concelhos do país onde a subida homóloga dos preços das casas é superior a 15%.

Segundo uma divulgação recente do Índice de Preços Residenciais (IPR), estes são os quatro mercados a Norte de Lisboa, com o maior crescimento homólogo dos preços em Portugal no 3º trimestre de 2019: Montijo, Barreiro e Alcochete, na margem Sul do Tejo, e Mafra, todos com variações no patamar de 25%. Tal valorização excede os 9,7% registados em Lisboa, que desde início de 2018 tem vindo a desacelerar, ao estabilizar agora no patamar de 9%.

Por outro lado, os Mercados Metropolitanos de Almada, Sesimbra, Amadora, Moita, Seixal, Sintra e Setúbal, também estão agora com fortes subidas de preços com variações homólogas de 24,9% a 20,0%. Com uma subida superior a 15% encontram-se ainda Oeiras, Odivelas, Vila Franca de Xira e Palmela, mercados onde a valorização homóloga no mesmo trimestre se fixou entre os 17,7% e os 15,9%. Na Área Metropolitana de Lisboa, apenas a capital, Cascais e Loures apresentam subidas de preços inferiores a esse escalão. O mercado de Loures é o único que não supera o ritmo de Lisboa, ficando-se por uma variação de 6,7%. A subida em Cascais ficou em 11,1%.

Vale a pena salientar ainda que, é na Área Metropolitana do Porto onde se localizam os restantes seis concelhos nacionais nos quais a valorização está acima dos 15%A cidade do Porto continua com uma forte subida de 23,8%, mas já se observa uma desaceleração de mais de 9 pontos percentuais face aos 32,9% ao crescimento dos preços no final de 2018. Matosinhos, com uma variação de 25%, é agora o concelho da região do Porto com o aumento mais elevado de preços. Contudo, destacam-se igualmente Vila do Conde, Póvoa de Varzim e Espinho, todos com variações entre 21,9% e 18,7%, além de Valongo, onde a subida ficou em 15,3%. Nos restantes mercados metropolitanos monitorizados pelo IPR, Gondomar registou uma subida dos preços de 14,3%, seguido de Gaia (11,4%) e Maia (10,6%).

À nível nacional, a maioria dos concelhos (104, i.e. 37%) apresenta neste trimestre uma subida de preços abaixo dos 5%, embora cerca de outro terço (77, i.e. 28%) registe subidas entre os 5% e os 10%. Nas valorizações acima dos 10%, os 61 concelhos apurados para o 3º trimestre de 2019 comparam com os 90 do mesmo período de 2018 (quotas de 22% vs 32%).

Top
error: Conteúdo protegido!!