Sem comentários

Tornou-se mais caro Comprar Casa em Lisboa do que em Madrid e Barcelona

Segundo a Consultora Imobiliária Savills Portugal, a capital portuguesa superou os preços médios do segmento de luxo de cidades como Madrid e Barcelona, cerca de 10.000 euros/m2. Hong Kong é a cidade mais cara, seguida de Nova Iorque e Tóquio.

O estudo realizado sobre o sucesso do Mercado Português, revelou que o Mercado Residencial Português atravessa um momento alto, sendo considerado o segmento mais bem-sucedido no mercado imobiliário em Portugal. A consultora salienta mesmo com os desequilíbrios existentes entre a Oferta e a Procura, os produtos destinados à classe média já começam a ser actualmente um objetivo dos promotores. Esta tendência representa uma boa notícia para este segmento de mercado.

O relatório avança que em Portugal, a taxa de juro nos empréstimos à habitação continua muito atractiva, sem haver previsão de oscilações que perturbem o mercado a médio prazo. Os investidores estão confiantes, apoiados pelo esforço que tem sido realizado para preservar a estabilidade da Zona Euro e os estímulos à economia, que por sua vez têm aumentado a procura pelos diversos tipos de crédito. Assim, o montante concedido em 2019 de crédito à habitação, foi sem dúvida o ano em que ultrapassou o marco da última década.

Por outro lado, a procura de habitações por parte dos estrangeiros em Portugal tem aumentado naturalmente, dado a diversas situações impactantes como Vistos Gold, Investimento, Segunda Habitação e Habitação Permanente. Mesmo após a entrada em vigor apenas em 2021 das restrições à concessão de Vistos Gold, o principal efeito não deverá ser sentido nos preços em aquisição de imobiliário, no curso deste ano.

Em Lisboa, a reabilitação urbana como tem vindo fortemente a ganhar espaço face aos projetos de promoção, a aposta em projetos novos de raiz é uma oportunidade de mercado que se apresenta cada vez mais como uma necessidade a ser preenchida.

A consultora refere ainda que na Área Metropolitana de Lisboa, tanto o valor total bem como o número de casas transacionadas têm aumentado constantemente, desde 2013 até 2018. Mas, o ano 2020 manterá a tendência e prevê-se ser tão promissor como a boa performance anterior. No entanto, O desvio evidente da mão de obra e dos promotores para os projetos de reabilitação é significativo, em comparação com os edifícios novos concluídos.

Assim, a Savills Portugal, reconhece que a reabilitação urbana continuará a dominar nos concelhos de Lisboa e do Porto, muito por causa da valorização que os centros históricos têm tido nos últimos anos, em grande parte impulsionados pelo turismo, porque, entre outros motivos, os custos de construção são tendencialmente mais reduzidos na reabilitação face à promoção. Por influência da procura e da localização, muitas vezes os preços de venda das habitações reabilitadas são superiores aos das habitações novas.

Top